PASTOS BONS SEDIA SEMINÁRIO DE CACHAÇA MARANHENSE DE ALAMBIQUE

Alambiqueiros conhecem soluções do Sebrae para alavancar negócio.

Em evento do setor da cachaça de alambique, a instituição apresentou portfólio de produtos e serviços que pode ajudar os produtores a tornarem-se mais competitivos.

Desde quinta-feira, 26, o município de Pastos Bons, localizado no Médio Sertão Maranhense, sedia o I Seminário Estadual da Cachaça Maranhense de Alambique. O Sebrae, que é uma das instituições realizadoras do evento, participou do painel “Gestão de Negócios”, com a palestra “Serviços e oportunidades para os produtores de Cachaças Maranhenses”.

Mauro Borralho, coordenador de Soluções Empresarias do Sebrae Maranhão e do Programa Comércio Brasil, ministrou a palestra “Serviços e oportunidades para os produtores de cachaças maranhenses. (Foto: Divulgação)

Ministrada por Mauro Borralho, coordenador de Soluções Empresariais do Sebrae Maranhão e do Programa Comércio Brasil, a palestra abordou as ações já realizadas pelo Sebrae junto aos produtores estaduais de cachaça, por meio de um projeto específico. Ele apresentou, ainda, as soluções empresariais da instituição que podem contribuir com o melhoramento da produção e a comercialização da cachaça produzida no estado, como o Programa Comércio Brasil e o Sebraetec.

 

O produtor Valdemar Cabral, da Cachaça Jacobina, destacou o trabalho pioneiro do Sebrae na organização da cadeia produtiva da cachaça no Sertão Maranhenses. (Foto: Divulgação)

Cerca de 150 pessoas entre produtores de cachaças, empresários e estudantesparticiparam do primeiro dia de evento. Para Valdemar Cabral, produtor da premiada Jacobina, o Sebrae tem um papel fundamental no processo de evolução da cachaça no Sertão Maranhense. “Na época, não tinha ninguém que falasse sobre assunto na região e o Sebrae reuniu os produtores para verem perto a forma correta de realizar o processo produtivo da cachaça de alambique. A partir desse contato, foi possível diagnosticar uma evolução qualitativa na produção de cachaça no Maranhão. A Jacobina é resultado do trabalho desenvolvido em parceria com Sebrae”, destacou Cabral.

Ainda dentro da programação do primeiro dia, foram abordados assuntos sobre tributos do segmento de cachaça e a importância da formalização das empresas para inserção no mercado formal, finalizando com o talk show com as marcas de cachaça registradas do Maranhão e que já fazem sucesso dentro e fora do estado.

Fortalecimento da cadeia produtiva

Durante a solenidade de abertura do evento, o presidente do SindiBebidas, Jorge Luiz Fortes, produtor da cachaça Capotira, do município de Vargem Grande, destacou a importância da união dos que integram a cadeia produtiva da cachaça de alambique e ressaltou a contribuição do Sebrae para o fortalecimento do setor no mercado.

“O SindiBebidas está trabalhando para dar suporte aos produtores para que possamos desenvolver com mais facilidades a nossa atividade, pois sabemos que existem muitos gargalos. Acredito que unidos podemos conseguir reduzir os custos desse processo, principalmente no que diz respeito à legislação tributária. A orientação na qualidade da produção e o fortalecimento da cadeia produtiva, bem como o maior acesso ao mercado, são outros pontos importantes que devemos discutir e melhorar e nesse sentido temos um grande parceiro, o Sebrae, que já tem uma vasta expertise no assunto”, defendeu Fortes.

O coordenador estadual de Soluções Empresariais do Sebrae estadual, Mauro Borralho, acompanhado pela gerente regional em Balsas, Cecília Salata, ratificou a fala do presidente Jorge Fortes e ressaltou que a instituição quer contribuir ainda mais com os produtores de cachaça do Maranhão, em parceria com o Sindicato e demais entidades. O executivo apresentou os produtores as linhas gerais do Programa Comércio Brasil, voltado ao mercado.

“O objetivo do programa é equiparar todos os produtores para atender ao mercado. A tendência é que se construa um ambiente bastante favorável ao crescimento dos empreendimentos já existentes e desenvolvimento de novas cachaças, devidamente cadastradas e regularizadas frente aos órgãos de fiscalização, além de outras contribuições importantes que podemos proporcionar aos produtores de cachaças maranhenses de alambiques”, comentou Borralho.

Último dia

A programação do I Seminário Estadual da Cachaça Maranhense de Alambique segue nesta sexta-feira, no auditório do Colégio Des. Moacyr Sipaúba da Rocha em Pastos Bons com as palestras “O retrato da produção de cachaça de alambique no Sertão Maranhense”, os workshops “Variedades de cana-de-açúcar para a produção de cachaça e seu plantio” e “Processos de produção de cachaças com qualidade e sem desperdício”. A partir das 13h30, os participantes se deslocarão para a cidade de Sucupira do Riachão para uma visita técnica na fábrica da Vale do Riachão.

O evento é realizado pelo Projeto de Cachaça Artesanal e Tiquira do Maranhão(Cartima), Sindicato de Bebidas, Refrigerantes, Água Mineral e Aguardente do Estado do Maranhão (SindiBebidas), Sebrae no Maranhão, Secretaria de Agricultura, Agropecuária e Pesca do Maranhão (Sagrima), Instituto de Agronegócios do Maranhão (InAgro) e Federação das Indústrias do Estado do Maranhão (Fiema/Senai), com a correalização da Prefeitura de Pastos Bons e apoio de mais 20 entidades parceiras.

Categoria: Pastos Bons