OitoMeia
A Operação Inventário, deflagrada há cerca de duas semanas no Piauí, teve novos desdobramentos desde a prisão de várias pessoas acusadas de formarem uma quadrilha especializada em fraudes a inventários para obter patrimônio de pessoas falecidas.
Segundo o delegado Matheus Zanatta, que faz parte do núcleo da Diretoria de Inteligência da Secretaria de Segurança Pública do Piauí, foram encontrados indícios de fraudes que podem envolver magistrados do Piauí e do Maranhão.
“Nós achamos novos indícios de irregularidades e, como não é de nossa competência (Polícia Civil) repassamos o inquérito por completo para que o tribunal que cada um dos juízes é vinculado faça a sua devida apuração”, explicou o delegado.

A Operação Inventário já havia chegado até a juíza da comarca de Demerval Lobão Maria da Paz e Silva Miranda, com a prisão de um neto dela, Diego Miranda. Ele tinha livre acesso às senhas da avó no sistema do Tribunal de Justiça do Piauí (TJ-PI). E com isso, segundo as investigações, beneficiava a quadrilha que fraudava inventários.
De acordo com o delegado, entretanto, mais novidades surgiram desde então: há suspeitas envolvendo juízes da Comarca de São Pedro do Piauí e da Vara do Trabalho da cidade de Barra do Corda, interior do Maranhão. “Após ouvir alguns dos acusados, chegamos a estes novos desdobramentos. Todo o inquérito foi repassado para o respectivo tribunal em que o magistrado é vinculado”, pontuou Zanatta.
CHEFE DA QUADRILHA, “OSTENTADOR”, CITA MAGISTRADOS
A Operação Inventário foi deflagrada dia 26 de maio passado e prendeu 11 pessoas, sendo alguns advogados, servidores públicos e empresários. As detenções foram realizadas nos estados do Piauí, São Paulo, Paraná e Paraíba. Alguns dos identificados: Diego Guilherme de Oliveira Abreu, Elano Lima Mendes e Silva, Liana Erica de Sousa, Elizafan Moraes Amorim (estes presos em Teresina, um deles inclusive estava dentro de um motel); Delano Sousa e Silva, Ana Clarine Vieira de Oliveira (presos em Ribeirão Preto-SP); Natalia Miranda da Silva (presa em Guaraqueçaba-PR)) e Diego Gedean Miranda (preso em João Pessoa-PB).
Delano Sousa e Silva é apontado como líder da quadrilha e já é conhecido nacionalmente. Ele foi chamado de “ostentador” ao expor em redes sociais viagens paradisíacas ao lado da esposa Ana Clarine em reportagem exibida no domingo passado, dia 6 de junho, na Rede Record. A reportagem mostrou o momento em que Delano foi encontrado e exibiu todo o luxo da casa em que morava no estado de São Paulo. Ao ser pego, ele não se intimidou, demonstrou estar tranquilo e insinuou que magistrados estariam envolvidos no esquema junto com ele. No vídeo da Record é possível ouvi-lo dizer: “Quem manda prender está envolvido”.

Assista a reportagem completa no vídeo